Santo de casa FAZ milagres

Posted on

É mais cômodo criticar que se empenhar em mudar sua realidade.

Inúmeras vezes ouvimos, ou fazemos uso da antiga expressão “santo de casa não faz milagres” quando queremos metaforizar trabalhos profissionais prestados na cidade e que não damos a devida importância.

Gostaria de levá-lo, amigo leitor, a mais uma reflexão sobre este tema: será mesmo que os santos de casa é que não fazem milagres, ou será que somos incrédulos para com eles? Reflita: quantas vezes você já deixou de solicitar algum trabalho ou então fazer a aquisição de algum bem material em sua cidade para ir buscá-los em cidades vizinhas? Será que o santo do vizinho faz mais milagres que o de sua casa?

Basta de preconceito! Isso mesmo, isto se chama PRECONCEITO. Quantos talentos a sua cidade já perdeu porque se sentiram desvalorizados dentro da própria casa? Muitos, e em várias áreas como arquitetura, artes cênicas, jornalismo, engenharia, economia e inúmeros outros profissionais.

Você pode até retrucar dizendo que em diversas áreas a cidade é carente em profissionais qualificados para a realização de um trabalho primoroso. HIPOCRISIA. A cidade não oferece porque nunca em sua história incentivou os talentos filhos dela.

Mais interessante ainda é que, com isso, quem perde é você! A sua cidade, a partir do momento que perde seus profissionais, deixa de se tornar progressista e qualificada, porque só o profissionalismo e a ética (que só encontramos em verdadeiros profissionais) possibilita o desenvolvimento local. Trocando em miúdos, cidade sem profissionais (que migram para outras localidades que os valorizam) se torna AMADORA. É, eu sei, é triste ouvir isso, mas é a verdade.

Por isso, de nada adianta reclamar que a cidade não vai bem (pois há controversas!), só não é melhor porque você não permite. Pense nisso e passe a valorizar os talentos dessa terra. Saiba que ainda hoje existem “Bandeirantes” que desbravam o mercado de trabalho com seus talentos sem sair de casa.

One Reply to “Santo de casa FAZ milagres”

Comentários estão fechados